Envio grátis

ESCALAS MELOGRAFIADAS e FÁBULA SELVAGEM de CÉSAR VALLEJO

R$76,00

12 x de R$7,70
Frete grátis a partir de

Disponível também em e-book: | amazon | barnes and noble | martins fontes | wook |

 

A Bandeirola apresenta mais um Clássico Vintage!!

Cultuado escritor peruano, em duas narrativas inéditas no Brasil!

 

Para além do vanguardismo hispano-americano,

a relevância inquestionável

Vallejo é considerado pela crítica especializada um dos maiores poetas hispano-americanos do século XX. Aqui apresentamos sua prosa inédita no Brasil, nos 12 contos de ESCALAS MELOGRAFIADAS e na novela FÁBULA SELVAGEM.

Vallejo escreveu parte de ESCALAS durante os 112 dias em que esteve preso, acusado de “instigador intelectual” em meio a incidentes de rua. ESCALAS e FÁBULA SELVAGEM foram publicadas no Peru em 1923, ano em que deixaria seu país para um exílio do qual não mais voltaria.

O que temos a ver com a literatura hispano-americana?

Acompanhe os motivos que nos levaram a um dos seus escritores mais singulares:

Vallejo é considerado pela crítica um dos maiores poetas hispano-americanos do século XX e o maior poeta peruano. Sua produção em prosa não se afasta da poesia e apresenta narrativas curtas, que capturam o personagem em um instante de sua vida.

Vallejo é considerado precursor do real maravilhoso. Tanto em Escalas Melografiadas quanto no Fábulas Selvagens, publicados em 1923, já encontramos o insólito, o fantástico e o estranho, características que compõe o que ficou conhecido como realismo mágico, no boom da literatura latino-americana, da década de 1950.

Na literatura de César Vallejo, o ético, o poético e o político se complementam. Engajado na luta contra o fascismo que tomou conta de parte da Europa no entreguerras, Vallejo era chamado por Eduardo Galeano de "o poeta dos vencidos", tendo vivido na pobreza, sem nunca abandonar sua dedicação à escrita e à militância política.

Participou dos mais importantes círculos artísticos europeus do início do século. Depoimentos de Neruda, Picasso, Mariátegui, Arguedas entre os mais conhecidos entre nós, têm Vallejo como um escritor ímpar, atestando sua vida e produção literária singular.

 

 

César Vallejo em desenho de Pablo Picasso.

 

Esse novo título da série Clássicos Vintage traz duas narrativas inéditas de César Vallejo: ESCALAS MELOGRAFIADAS e FÁBULA SELVAGEM.

ESCALAS MELOGRAFIADAS é dividido em duas partes. A primeira parte, Cuneiformes, apresenta narrativas que tematizam o encarceramento e tiveram sua primeira versão escrita durante a prisão de César Vallejo. Os personagens falam brevemente para logo retornarem ao silêncio denso e solitário do cárcere. Os títulos dos contos já prenunciam a ausência de liberdade:

 

Na segunda parte, Coro dos Ventos, mergulhamos no mundo peruano profundo, misterioso, em que situações apontam para o fantástico e apresentam histórias de fantasmas, a loucura de todo um povoado, o amor que ultrapassa a lógica e os mistérios de um viver latino na mais misteriosa das terras hispano-americanas. Creiam, é um assombro.

Os contos de Coro dos Ventos:

 

FÁBULA SELVAGEM é uma novela que nos apresenta um Vallejo ligado à vida campesina. Vallejo aborda as crendices e superstições do meio rural peruano, ao acompanhar o progressivo enlouquecimento do protagonista, Balta, envolvido em um pesadelo sufocante. O insólito, o misterioso e o fantástico não poderiam encontrar melhor escritor.

 

Características Técnicas: 

TÍTULO: Escalas Melografiadas e Fábula Selvagem

AUTOR: César Vallejo

EDITOR ESPECIAL: Antonio Merino

TRADUTORA: Ellen Maria Vasconcellos   |   PREFÁCIO: João Mostazo. 

DIMENSÃO:  13,5 X 18,5cm    |  PESO: 300g

ISBN: 978-65 -991864-8-6

 

 

EDIÇÃO DIGNA DE COLECIONADOR. Essa edição especial traz o germe dos livros publicados no final do século 19 e início do 20, em capa dura, dimensão de 13,5 x 18,5.

Aqui, as páginas de rosto:

 

 

 PARA ENTRAR NO CLIMA, preparamos a abertura do livro (página de guarda) inspirada nos motivos de uma tapeçaria tradicional peruana feita em tear manual, esta originária de Santiago de Chuco, terra natal de César Vallejo.

 

 A TRADUÇÃO foi realizada por Ellen Maria Vasconcellos, poeta, Doutoranda em Língua Espanhola e Literaturas Espanhola e Hispano-americana na Universidade de São Paulo (USP). Em César Vallejo, Ellen deparou-se com a delicadeza de traduzir a solidão, os detalhes mínimos e as sutilezas de um escritor que não se detém no real da vida, sem dela despegar-se.

 

 O PREFÁCIO ficou por conta de João Mostazo, pesquisador, Doutor em Teoria Literária e Literatura Comparada pela Universidade de São Paulo, onde apresenta um painel interpretativo contextualizando vida e particularidades das obras de César Vallejo, colocando-o como intérprete e agente de sua época, por onde viveu.

 

 A EDIÇÃO ESPECIALÍSSIMA, a CRONOLOGIA e o POSFÁCIO são de Antonio Merino, poeta e ensaísta espanhol. Dedicou-se ao estudo da história da literatura hispano-americana em sua conexão mais direta com a Espanha, seu país de origem e morada. Atua no Centro Internacional de Estudos Vallejianos (Espanha) e é dele o denso posfácio desta edição, obra única que, com certeza, vem suprir a rara bibliografia a respeito de César Vallejo, em edições brasileiras. Nada passa sem interpretação pelas lentes de Antonio Merino: as referências filosóficas, as particularidades, a poesia, as relações densas de vida, obra e pensamento de um escritor ímpar.

 

Paratextos valiosos fazem parte desta edição: o prefácio, a cronologia minuciosa e o denso posfácio, enriquecem a rara bibliografia a respeito da produção literária de César Vallejo.

 

 

Contamos, ainda, com a equipe da BandeirolaSandra Abrano, na coordenação geral; no projeto gráfico que aliou o charme da edição antiga ao conforto da leitura, a editora de arte Thaís de Bruÿn Ferraz; na edição de texto e checagem da tradução, a editora Angela Pontual; na revisão cuidadosa de Solange Guerra.

 

DIZEM POR AÍ...

Resenhas, vídeos, podcasts, entrevistas e mais sobre A ESPINHA DORSAL DA MEMÓRIA: 

* Artigo de Braulio Tavares, "O Real Maravilhoso de César Vallejo", publicado no Mundo Fantasmo.

* Artigo de Daniel Brazil, "César Vallejo", publicado no Aterraredonda.com.br

* Observações de leitura de Ismael Chaves, publicado no @ismaelgchaves [instaGram].

* César Vallejo no Mundo de K.

* Artigo de Daniel Brazil, "César Vallejo, antifacista genial", publicado no Fosforo.